Nutrição para Idosos

337319_pr_01Os idosos pertencem a um grupo diversificado, com capacidades e níveis de funcionamento amplamente variados. Em função do processo de envelhecimento há um declínio do funcionamento normal de seus órgãos, com uma perda progressiva de massa corpórea, bem como pela mudança na maioria dos sistemas do organismo: sensorial, gastrointestinal, metabólico, cardiovascular, renal, neurológico, psicossocial, musculoesquelético. Todas essas modificações influenciam direta ou indiretamente no estado nutricional do idoso, em especial, as modificações do trato gastrointestinal (TGI).

Eles apresentam com freqüência algumas carências nutricionais, principalmente de micronutrientes, como as vitaminas e os minerais e ainda com uma redução da síntese protéica, comprometendo também o seu estado nutricional, sendo assim, existem carências não somente de micronutrientes, mas também de macronutrientes.

Dicas para uma boa nutrição:

• Os ácidos graxos essenciais ômega 3 e 6 são convertidos em prostaglandinas, substâncias
antiinflamatórias. Ajudam a reduzir a pressão arterial e afinar o sangue, importante na
prevenção de coágulos sanguíneos. Confere ainda proteção contra doenças cardíacas, artrite
reumatóide, osteoporose, câncer, diabetes e são muito bons para o cérebro.

• Cereais integrais fornecem inúmeros nutrientes, fitonutrientes e fibras que atuam
sinergicamente para manter o funcionamento adequado de células e órgãos. Ainda reduzem o risco de morte por alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares. Inclua na sua alimentação o arroz integral, trigo sarraceno, aveia, quinua, amaranto e centeio.

• Sementes oleaginosas são superalimentos relacionados com a longevidade. As nozes reduzem o risco de ataque cardíaco se consumidas com freqüência, enquanto o pistache, amêndoas, macadâmia e a castanha reduzem o colesterol ruim e as gorduras circulantes. Além disso são fontes de ácidos graxos essenciais, vitamina E, magnésio, ácido fólico e vitaminas do complexo B.

• A água é um dos nutrientes mai importantes e muitas vezes é esquecido. O mecanismo de sede diminui a medida que envelhecemos, e os idosos são mais propensos à desidratação. A falta de água pode provocar confusão mental, além de pele seca e cansaço.

• O licopeno, encontrado em boa quantidade no tomate, está associado a um risco menor do desenvolvimento de câncer de próstata, que costuma aparecer em homens a partir dos 50 anos.

OBS: Essas informações não substituem orientação do médico ou nutricionista.

Fonte: Gabriela Pimentel Rodrigues

* Algumas Dicas e Recomendações Nutricionais
* A alimentação deve ser adequada e completa para atender às necessidades nutricionais;
* Fazer de 5-6 refeições/dia de pequenos volumes, porém mais concentrada em calorias e
nutrientes e bem diversificadas, para assegurar todo o aporte de vitaminas e sais minerais;
* Cuidar da apresentação dos pratos e estimular a experimentação de novos sabores e
sensações;
* É primordial manter uma boa higiene bucal, cuidar da hidratação e da umidade da mucosa bucal e da língua;
* Manter uma rotina e uma regularidade nos horários das refeições para minimizar as possíveis
distrações (não ligar a televisão durante as refeições);
* Utilizar utensílios adequados, como pratos que se fixem na mesa (com ventosas) e talheres de plásticos para evitar a autolesão;
* Durante as refeições, o paciente deverá estar sentado com a inclinação correta da cabeça
para favorecer a deglutição;
* Adaptar a consistência para melhor mastigação e deglutição e evitar grumos, espinhas e
cascas duras para o paciente não engasgar;
* Beber água suficiente, principalmente para evitar os engasgos. Evitar administrá-la no
período da noite e, em caso de disfagia a líquidos, usar espessantes;
* Se houver alterações na deglutição, deve-se modificar a consistência dos alimentos sólidos e líquidos, utilizando alimentos com textura modificada e/ou espessantes (não mesclar texturas diferentes);
* Usar temperos naturais como alho, cebola, cebolinha, cheiro verde, salsa, orégano e outros, evitando, assim, o abuso do sal;
* Como medida de prevenção da constipação, assegurar quantidade suficiente de água,
exercícios físicos regulares e alimentos ricos em fibras ou suplementos;
* Diante de uma perda de peso, utilizar suplementos nutricionais orais e se o aporte de
nutrientes for insuficiente, será necessário utilizar purês enriquecidos;
* Os alimentos devem estar sempre em temperatura adequada, visto que, em fases mais
avançadas, o paciente não consegue distinguir o quente do frio, estando mais exposto a
lesões

Fonte site Néstle